quinta-feira, 31 de Julho de 2014

Das coisas que mais enervam na vida

Dizer "um amor maior" quando se fala de um filho.

Das coisas que mais saudades tenho na vida

O cheiro a café, pela manhãzinha,da casa da minha avó e a maneira como o sol entrava na cozinha.

Das coisas mais desconfortáveis da vida

Entrar numa sala de espera cheia de gente.

quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Eu não conhecia a humanidade até ter ido a um parque infantil

O ser humano no geral é horrível e as crianças em particular são monstros. Meia hora dentro de um parque infantil, com Amália a tentar tocar em todos os meninos, a querer pegar em tudo o que não lhe pertence e a querer subir para todas as diversões nas quais não pode andar sozinha, descobri que os humanos pequenos são pavorosos. Como ainda não foram treinados, amestrados, controlados, como ainda estão em bruto, puros, todos eles são instintos e necessidades ou vontades que têm de ser imediatamente satisfeitas, as criaturas comportam-se como animais.
Não partilham, não dividem, não querem esperar que o outro saia do baloiço, empurram sem olhar ao tamanho do adversário (que normalmente é mais pequeno) e gritam, raios partam os miúdos.Tive de dizer a uma criancinha beta, de forma mais ou menos educada mas com vontade de lhe dar uma bofetada, que a Amália era bem mais pequena do que ela e que não sabia o que fazia. A puta da criancinha arrancou-lhe a malinha de plástico das mãos com tal violência que a miúda ia caindo, coitadinha.
AO mesmo tempo uma miúda gritava com outra que se recusava a sair do baloiço e dar a vez à outra "eu não quero esperar eu quero andar agora" dizia ela, que medo.

terça-feira, 29 de Julho de 2014

segunda-feira, 28 de Julho de 2014

Era dar-lhes com um gato morto nas trombas ou metê-los num saco com pedras e atirados ao mar*

Katy Perry; Foster the People; Lorde; Jessie J; Capitão Fausto.  

* Em permanente actualização

sexta-feira, 25 de Julho de 2014

O que é que se passa com vocês, miúdos?

Estive num hotel muito lindo e por azar estava lá a filha mais nova dos donos mais os amigos todos, adolescentes, caras de miúdos, que ocuparam a piscina e ligaram um rádio alto. O problema não era a música alta, nem era o facto de terem ocupado a piscina até porque foram logo embora, educadamente, jóias de moços, todos muito bonitinhos e com aquele ar de três meses de férias, o problema era a qualidade das canções, aquela gente só ouvia Katie Perry, raios a partam ninguém lhe dá quatro estalos nas trombas para ver se pára de gritar, puta de música mais má, e outras merdas igualmente horrendas a que certas rádios chamam música.
Depois há este miúdo - um youtuber, diz que agora é uma cena - o Nurb, Bruno de trás para a frente, e que é assim magrito como o Nogueira e tem trejeitos de boca como o Araújo Pereira. Ora o Nurb tem às 400 mil visualizações nos seu vídeos, onde fala de coisas e diz umas piadolas. O problema é que o Nurb ainda faz piadas do género "deve ser chato para as raparigas irem ao médico e dizerem que lhes dói a engolir". Estava ele a falar de amigdalites. E eu não percebo, juro que não percebo. E por isso fui ver mais vídeos e estou para aqui e continuo sem perceber.

terça-feira, 22 de Julho de 2014

O que eu aprendi nestas férias

- Acabaram-se os dias inteiros na praia com meia dúzia de sandes e uns sumos de pacote;
- Não vale a pena inventar muito e querer ir para sítios muito lindos, muito diferentes: a única forma de passar férias descansadas com um bebé é numa casa alugada que fique perto da praia;
- Dormir num quarto de hotel com uma criança é uma merda. Não podemos sair do quarto e deixá-la sozinha ao estilo Maddie e ela não dorme enquanto lá estivermos porque só quer brincar;
- Há uma razão para o interior de Portugal não ser muito procurado em termos turísticos mesmo tendo paisagens muito bonitas: está tudo mal feito e mal aproveitado. Aluguei um bungalow na barragem de Castelo de Bode e vim embora minutos depois de ter chegado. Não havia uma única sombra na praia fluvial e a "praia" era uma jangada de madeira no meio da água sem protecção nenhuma. Mesmo bom para crianças. O bungalow era muito giro mas não tinha espaço exterior, estava para lá encarrapitado no alto, nem uma cadeirinha cá fora para ver as vistas. E ainda me obrigaram a fazer o check in num hotel a uns bons quilómetros dali (e claro que só avisaram depois de lá termos chegado);
- Tenho de estudar melhor este país e descobrir sítios bonitos, com água, baby friendly (sim, estou a pedir ajuda);
- Às vezes, uma noite num sítio cinco estrelas sem bebés é tudo o que é preciso;
- Quando se tem filhos cansa mais estar de férias do que trabalhar, principalmente se a criança aos 11 meses já andar sozinha de um lado para outro com quedas potencialmente perigosas a cada dez passos.

segunda-feira, 21 de Julho de 2014

quinta-feira, 17 de Julho de 2014

Crazy pillow lady

Entrei na loja da Molaflex de vestido de praia comprido e esvoançante, com florinhas, meio a dar para o hippie, de saco enorme da Fnac ao ombro e a minha almofada lá dentro. Pedi licença ao empregado que me deixasse deitar numa das camas com a minha almofada e com uma da Tempur, que diz que é feita com a tecnologia da Nasa, deve ser deve, para ver se há assim tanta diferença que justifique 125€. Não cheguei a uma conclusão específica fiquei só com a ideia de que era um pouco melhor. Bom, bom era que me deixassem dormir com ela uma semana para ver se deixo de acordar com mais dores do que uma idosa de 90 anos. Voltei a sair de saco ao ombro e sem Tempur mas disse ao senhor que ia pensar muito e ler coisas sobre a almofada porque já vou na terceira e não há latex, viscoelástico ou tubinhos de policoisonãoseiquê que me valhem.